Atendimento (92) 3622-0034

SEGUNDA A SEXTA-FEIRA DAS 14:00 ÀS 18:00

Email para contato

[email protected]

Manaus vai sediar XIII Congresso de Bethéis do Norte

14/11/2022

Edição do evento ocorre entre os dias 25 e 26 de novembro, na capital amazonense.

A cidade de Manaus vai sediar, entre os dias 25 e 26 de novembro de 2022, a décima-terceira edição do Congresso de Bethéis do Norte (COBEN). O evento, exclusivo para as Filhas de Jó, vai reunir participantes de entidades dos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Roraima, Rondônia, Tocantins e Pará.

O objetivo do Congresso é incentivar a interação entre as irmãs, com vistas ao aprimoramento dos estudos e ensinamentos da Ordem. No âmbito da programação do congresso, são realizadas diversas atividades que cooperam para esse objetivo.

O evento ocorre a cada dois anos e o local do próximo congresso é definido ao final do encontro pelos Conselhos Guardiães. No final do décimo-segundo COBEN, em 2018, o Amazonas foi escolhido para sediar o congresso na edição de 2020. Contudo, em virtude da pandemia, somente agora, em 2022, vai ocorrer a aguardada décima terceira-edição do evento.

De acordo com informações concedidas pelo Mestre Maçom Marcus Valério de Rezende Colares, atual Guardião Associado do Bethel 01 e Grande Secretário Paramaçônico da GLOMAM, o Bethel é local sagrado das reuniões das Filhas de Jó Internacional. “É uma palavra de origem hebraica, que significa “Casa de Deus”, onde as Filhas de Jó se reúnem a cada 15 dias, o Bethel 01 As Amazonas de Manus-AM se reúne no Condomínio Maçônico Delta, também um templo erguido ao Grande Arquiteto Do Universo, Deus Pai Todo Poderoso, tudo dentro do mesmo contexto”, explica.

O Mestre Maçom também comentou sobre a criação da Ordem das Filhas de Jó Internacional, criada em Nebraska, em 1920, pela esposa do Grão-Mestre do local, a Sra. Ethel Mick, que também era membro da Ordem Paramaçônica “Estrela do Oriente”. “A Ordem Filhas de Jó nasceu há 102 anos, no pós-guerra, com o intuito de dar apoio às meninas de 10 a 20 anos, filhas de maçons que haviam ido para a guerra e não retornaram, encaminhá-las, dar alento e formar verdadeiras líderes juvenis, forjando o caráter destas jovens”, concluiu.

Texto: Jesua Maia

Edição: Rodrigo Motta


Emitido em 05/12/2022 22:48